Literatura e viagens: as dicas de Pedro Pacífico, do perfil @book.ster

O advogado paulistano Pedro Pacífico* toca no Instagram o perfil Book.ster, em que dá dicas de literatura para mais de 130 mil seguidores. Recentemente, ele escreveu o texto abaixo sobre a relação entre viagens e o hábito de ler livros sobre os destinos que vai visitar. Tem dicas de obras sobre o Sudeste Asiático e, de bônus, títulos que ele recomenda para quem deseja viajar pelo Brasil, Itália e África.

Para comemorar o Dia Nacional do Livro, que é hoje (29/10), em grande estilo.

dicas de literatura e viagens por pedro pacífico

Eu sempre costumo dar uma dica para quem vai viajar: leia algum livro relacionado ao país ou cidade que você vai conhecer. Mas a verdade é que essa dica não é só para quem vai visitar aquele lugar, mas para todo mundo que tem vontade de conhecê-lo um pouco mais.

A leitura realmente consegue nos apresentar um pouco de um lugar que não conhecemos. E não da forma que uma simples imagem faz, mas sim de uma maneira mais profunda: aprendemos sobre os costumes e tradições de um povo, as passagens históricas que marcaram aquele país ou até mesmo os problemas vividos por um cidadão comum. Passamos a conhecer a compreender o diferente.

E como livros e viagens são duas grandes paixões minhas, resolvi começar a mostrar um pouco dessas minhas experiências, relacionando países/cidades a algumas obras relacionadas. É muito legal como os livros podem enriquecer a sua experiência de viagem ou te levar para algum lugar que – por qualquer motivo – você não sabe se um dia conhecerá.

Para começar, decidi falar um pouco da minha viagem para Tailândia, Camboja e Vietnã (sudeste asiático). Foi uma das primeiras viagens que fiz depois de criar o @book.ster, então os livros já estavam preenchendo um papel mais importante na minha vida. Assim, algumas semanas antes da viagem, selecionei “Sidarta”, de Herman Hesse e “Primeiro mataram meu pai”, de Loung Ung.

O primeiro é um romance sobre o budismo, religião predominante nos países que visitaria. E o segundo é um relato verídico sobre uma garota cambojana que vivenciou o regime cruel do Khmer Vermelho.
E fiquei impressionado como ambas as leituras contribuíram para a minha viagem. Conseguia ver referência das obras nos templos e monumentos que visitamos. Eu realmente tive a sensação de compreender um pouco mais como a religião era vista por aqueles cidadãos e como o povo cambojano já havia sofrido.

Para quem vai viajar ou quer conhecer um pouco mais dessa parte do sudeste asiático, seguem as dicas, além daqueles já mencionados no post:

– “O simpatizante”, Viet Nghyen (Vietnã)
– “A velocidade da luz”, Javier Cercas (Vietnã)
– “A mágoa da guerra”, de Bao Ninh (Vietnã)
– “Four Reigns”, de Kukrit Pramoj (Tailândia)

Bônus:

> Itália

O Leopardo, de Giuseppe di Lampedusa:

“Um clássico da Itália que retrata o declínio da aristocracia e apresenta um panorama muito interessante sobre a sociedade italiana do final do século XIX.”

> Brasil

Vidas secas, Graciliano Ramos:

“Um livro sobre o Brasil e sobre o brasileiro. Um relato sensível e impactante sobre a vida miserável de uma família de sertanejos.”

> África

Infiel, de Ayaan Hirsi Ali

“Autobiografia marcante de uma garota nascida na Somália e que precisa vencer as barreiras de uma sociedade machista e extremamente religiosa para conseguir garantir o seu direito mínimo de viver.”


Sobre o viajante:

dicas de literatura e viagens por pedro pacífico

 

Pedro Pacífico. Sou advogado e sempre gostei muito de ler. Na verdade, já tive fases de mais leituras, e outras de menos, mas nunca deixei de ter um livro na minha cabeceira. Em meados de 2017, fiquei com vontade de criar um espaço no Instagram para dividir minha opinião sobre os livros que lia. Como a leitura é um hábito, infelizmente, não tão valorizado em nosso país, sentia falta de poder conversar com outras pessoas que também partilhavam do amor pelos livros. E foi aí que nasceu o Book.Ster por Pedro Pacífico.
Diariamente compartilho dicas, sugestões e críticas com os seguidores. Leitura é hábito diário! Leia todos os dias, ao menos 3 páginas, e com isso você consegue manter esse hábito de extrema importância.

“Literatura e viagens trazem, para mim, a possibilidade de conhecer outras realidades, passando a compreender e respeitar o diferente.”

Tagged , ,