Como é sobrevoar Nova York em um helicóptero sem portas

Por Luiza Terpins

Sempre achei aqueles passeios turísticos de helicóptero cafonas. Me parecia furada gastar uma pequena fortuna para ficar 15 minutos no ar ao lado de outros turistas impressionados. Mas eis que mordi minha língua quando descobri o FlyNYON, empresa que leva o pessoal para sobrevoar Nova York com um roteiro mais voltado para fotografar e filmar – seja com uma câmera profissional ou com o celular mesmo. E o mais diferente: com a possibilidade de fazer tudo isso em um helicóptero sem portas.

Essa, aliás, foi uma ótima sacada que tiveram em 2014. Conversei com o Vice-Presidente da empresa e ele me contou que a ideia veio justamente porque a galera estava pirando nas fotos profissionais que eles, pilotos, postavam. Sentiram que era uma oportunidade de negócio aparecendo e resolveram apostar. E deu certo, pois hoje a empresa já está presente em Los Angeles, Miami e São Francisco, além de ter 188 mil seguidores no Instagram e mais de 42 mil fotos marcadas na rede com a hashtag deles.

O passeio ficou agendado para um sábado às 18h. A ideia era pegar o pôr do sol. O dia, no entanto, não acordou muito bonito. Além de super nublado, tudo indicava que ia nevar. Mudamos, então, para às 14h, horário em que, segundo a previsão, ainda não estaria nevando. Lá fui eu para New Jersey, onde fica o heliponto da empresa.

Cheguei lá sozinha, conheci as outras pessoas que também voariam comigo, todos nova-iorquinos, diga-se de passagem (cabiam 4 na aeronave), e o piloto me deu as instruções de como abrir e fechar a porta durante o voo. Sim, porque eu fui a única que quis voar na porta, porém sem ela. Coloquei mil cintos de segurança, fiz o teste umas 15 vezes e lá fomos nós voar. Ou pelo menos tentar. Assim que abriram a porta do hangar, não deu outra: neve, muita neve. Voo cancelado.

Acontece que uma das pessoas que voaria comigo estava de mudança para Dubai dali a dois dias, então ou ela voava naquele final de semana, ou não voaria. Nos encaixaram, então, no dia seguinte, às 16h. Detalhe: mesmo sem ter nenhuma culpa no cancelamento do voo, no domingo a NY On Air mandou um Uber para nos buscar em Manhattan e levar até New Jersey (e depois nos levar de volta). Achei demais.

O dia seguinte acordou lindíssimo. Céu azul, um calor de ~ 2 graus ~ e sol. Perfeito para levantar voo. A falta de vento também era uma ótima notícia para quem – eu – inventou de voar sem a porta.

Já treinados, não demorou para levantarmos voo. Primeira constatação: helicóptero parece uma pluma! Na hora que começou a dar sinais de subida, ele balançava de um lado para o outro como se fosse um brinquedo.

 

Com mais ou menos dois minutos de voo o piloto me autorizou a abrir a porta. Aí sim o negócio começou a ficar interessante. Eu até pensei que fosse sentir um pingo de medo, mas não senti nada. É engraçado comentar com as pessoas que voei assim, porque a primeira coisa que elas falam é “nossa, eu não teria coragem”, mas a última coisa que eu pensei na hora foi que eu estava fazendo algo ~ perigoso ~.

A primeira coisa que vimos foi a Estátua da Liberdade, e assim, bem de pertinho.

Depois, foi a vez do Central Park, que estava todo branco de neve. Em seguida passamos pelos arranha-céus de Nova York. Empire State, Rockfeller Center, Chrysler Building.

 

Em alguns momentos eu tentei fazer a foto clichê que os americanos sempre fazem, que é a dos pezinhos para fora, mas não rolou como eu gostaria. O vento puxava minhas pernas para trás, haha.

 

O passeio foi incrível e por vários motivos:

1) Nova York; 2) Helicóptero sem portas; 3) Oportunidade de tirar fotos diferentes.

Os únicos contras nessa história toda:

1) Era inverno – no verão, ou qualquer época que não esteja frio, deve ser incrível; 2) O preço é salgado. O voo de 16 minutos custa $279, e o de 30 minutos, $499.

De qualquer forma, é uma experiência e tanto. Eles também fazem alguns voos especiais, como para ver os fogos em July 4th e o revéillon da Times Square lá do alto.

 

_VÁ ALÉM_

Melhor época para sobrevoar Nova York: Definitivamente qualquer mês fora do inverno. Mas, vocês viram, o frio não atrapalha tanto assim.

Como: Dá para reservar com antecedência pelo site da empresa. Quanto antes, melhor. Eles fazem bastante promoção também, e o voo chega a sair com 50% de desconto.

Quanto: A partir de $ 279 por pessoa.

A foto do abre e a última foram tiradas por Anthony Quintano, um dos passageiros que me acompanhou no voo.

Tagged , , , ,