passeios com acessibilidade

Diversão para todos: passeios com acessibilidade

Atrações no Brasil e no mundo que se preocupam em oferecer uma boa experiência para todos

21/ago , 2020

 

Saber detalhes sobre a estrutura de uma atração turística é muito importante para as pessoas com deficiência, como as que têm mobilidade reduzida. Por isso, reunimos aqui espaços que se preocupam com isso. A seguir, conheça alguns passeios com acessibilidade no Brasil e em outros países!

 

Space Center Houston (EUA)

Um dos centros de exploração espacial da NASA tem diversas atividades e recursos para pessoas com deficiência. Algumas são:

Autistas e com sensibilidades sensoriais: roteiros com luzes e ruídos reduzidos, além de uma mochila (que é oferecida para ser usada durante a visita) com fone de cancelamento de som, óculos de sol e livros de apoio.

Deficientes auditivos: intérpretes da língua americana de sinais.

Deficientes visuais: visita guiada e uso gratuito do aplicativo Aira, que descreve as características do espaço.

Há também os accessibility camps, tours que simulam uma missão espacial montados especialmente para receber famílias e pessoas com deficiência.

Saiba mais aqui.


Pinacoteca do Estado de São Paulo (SP)

 

O museu possui uma exposição fixa com 12 esculturas consideradas táteis, ou seja, que têm formas e texturas que podem ser tocadas por pessoas com deficiência visual, por exemplo. Na galeria, além das obras de artistas como Victor Brecheret e Amilcar de Castro, há também recursos como catálogo em braille e áudio-guia.

Visitas por todo o acervo com o acompanhamento de um educador também podem ser agendadas.

Saiba mais aqui.


Ripley’s Aquarium Toronto (Canadá)

Este aquário no centro de Toronto foi certificado como a primeira atração turística preparada para receber autistas e pessoas com sensibilidades sensoriais no Canadá.

Os guias do local passaram por um treinamento intensivo para acompanhar os visitantes pelas nove galerias de aquários com mais de 20 mil animais. Há também um guia sensorial no site do aquário com detalhes sobre as experiências.

Saiba mais aqui.


Parque Ecológico Imigrantes, São Bernardo (SP)

 

passeios com acessibilidade

Foto: Divulgação

As trilhas deste parque ecológico foram construídas em forma de passarelas elevadas em meio à Mata Atlântica e são acessíveis a pessoas com mobilidade reduzida e deficiência visual e auditiva – há placas em braille e recursos de áudio.

Um bondinho em plano inclinado facilita a locomoção e tem uma vista linda da copa das árvores. Guias no local podem apresentar mudas de plantas nativas, com experiências de toque, paladar e aroma, passando por um túnel de vegetação, um lago de águas cristalinas e uma concha acústica para ouvir os sons da natureza, como o canto dos pássaros.

Saiba mais aqui.


Nascente Azul, Bonito (MS)

O complexo de ecoturismo Nascente Azul tem uma trilha com tirolesa que é totalmente adaptada para receber as pessoas com deficiência: o trajeto de 300 metros é formado por um bosque onde é possível avistar quatis e macacos, uma cachoeira e nascentes de água azul turquesa.

Ao fim deste trecho, está a maior tirolesa do estado, com cerca de 1.000m, que pode ser percorrida com o acompanhamento de um guia especializado. Outros atrativos também são inclusivos: há cadeiras flutuantes nos balneários, almofadas e assentos apropriados para passeios de barco.

Saiba mais aqui.

 

Veja também: #FuiAlém – As dicas de Dani Guimarães em Bonito, Mato Grosso do Sul

 


Museu de Belas Artes de Rennes (França)

Inaugurado em 1794 para abrigar uma universidade, o espaço tornou-se um museu com obras da antiguidade egípcia à arte contemporânea, incluindo desenhos e pinturas de Leonardo da Vinci e Rembrandt.

Para que o acervo seja acessível a todas as pessoas, o museu disponibiliza aparelhos auditivos e cadeiras de rodas, além de promover visitas em grupo adaptadas a pessoas com deficiências intelectuais. Há também a “musette”, uma bolsa equipada com folhetos em braille e letras maiores, dispositivos sonoros e táteis – no térreo do centro cultural, há uma exposição fixa que pode ser tocada.


 

Vale lembrar que cada pessoa pode ter uma necessidade diferente de acessibilidade. Além do Guia Turismo Acessível e do Autism Travel, há também aplicativos que reúnem avaliações sobre as estruturas de lugares no Brasil e no Mundo:

Guiaderodas
Wheelmap
Biomob

Fim

Veja também

Siga nosso instagram

#omundoédequemvai