Vinho e viagem: vinícolas no Brasil para você conhecer

 

Engana-se quem pensa que só a região sul é indicada para quem deseja curtir vinhos e passeios relacionados por aqui. Pensando nos amantes da bebida – que teve demanda ainda maior entre os brasileiros durante a quarentena– , reunimos algumas vinícolas no Brasil para você conhecer quando tudo isso passar. E o melhor: de Norte ao Sul do país!

 

Vinícola Guaspari, em Espírito Santo do Pinhal (SP)

 

vinicolas brasil
Foto: Vinícola Guaspari/Reprodução

Em 2006, as primeiras videiras foram plantadas em uma antiga fazenda de café a cerca de 200 km de São Paulo. Os tipos de uvas escolhidas foram as francesas, que se adaptam bem ao solo da região. A primeira safra artesanal deu certo e foi ampliada: hoje são 50 hectares de vinhedos com cachos colhidos manualmente no inverno, quando o clima é propício para a produção.

Os diferentes tipos da bebida ficam armazenados em barricas de carvalho francês, como Taransaud, François Frére e Ermitage. Há três tipos de visitação no local, que vão de R$ 150 a R$ 528 por pessoa – é necessário reservar.

Saiba mais aqui.


Vinícola Rio Sol, em Lagoa Grande (PE)

 

Às margens do rio São Francisco, entre Pernambuco e Bahia, 120 hectares de parreiras são transformados em vinhos e espumantes que descansam em barris de carvalho francês.

 

vinicola brasil

 

A vinícola pertence à produtora portuguesa Global Wines e recebe os visitantes em diversos roteiros de enoturismo. O mais interessante deles é o passeio de catamarã pelo Velho Chico com brinde durante o pôr do sol, incluindo uma visita técnica à plantação e adegas com degustação de quatro tipos de espumantes (a partir de R$ 50 por pessoa).

Anualmente, são produzidas ali cerca de dois milhões de garrafas de vinho branco e tinto com duas safras.

Saiba mais aqui.


Vinícola Thera, em Bom Retiro (SC)

 

vinicola thera
Foto: Vinícola Thera/Reprodução

Os vinhos de altitude da Fazenda Bom Retiro começaram a ser produzidos em 2013 com os mais de 10 hectares de mudas francesas e italianas, que transformam-se em rótulos de vinhos brancos e espumantes.

Na propriedade, há também uma pousada boutique, um wine bar e um bistrô, onde a gastronomia local é harmonizada às bebidas da casa.

Saiba mais aqui.


Vinícola Almaúnica, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves (RS)

 

Em 2008, os gêmeos Magda e Márcio Brandelli resolveram dar continuidade à história de sua família com os vinhos, que teve início em 1887 com a chegada do italiano Marcelino Brandelli à cidade de Bento Gonçalves.

Eles decidiram produzir juntos garrafas limitadas de vinhos finos e espumantes com os 2,5 hectares de Cabernet Sauvignon, Merlot e Chardonnay que plantaram na região conhecida como Vale dos Vinhedos.

A vinícola possui barricas a nove metros de profundidade em temperatura natural, onde até 150 mil litros de espumantes podem ser fermentados. A visita e degustações no espaço custam entre R$ 30 e R$ 90 por pessoa.

Saiba mais aqui.

 

 

Vinícola Terranova, em Casa Nova (BA)

 

vinicola terranova
Foto: Terranova/Reprodução

Qual o segredo para cultivar mais de 200 hectares de vinhedos em uma das regiões mais secas do Brasil? O gotejamento do rio São Francisco mantém de pé as plantações da Fazenda Ouro Verde, onde está a vinícola pertencente ao grupo Miolo.

O clima tropical dá o sabor a duas safras anuais que transformam-se em espumantes como Chenin Blanc, Sauvignon Blanc, Verdejo, Moscato e Grenache.

A visita à vinícola e vinhedos com degustação custa R$ 15, mas há uma ainda mais elaborada: o roteiro Vapor do Vinho inclui um passeio de barco no rio São Francisco com paradas em praias fluviais, degustação a bordo e almoço com comidas típicas (R$ 160 por pessoa).

Saiba mais aqui.


Casa Geraldo, em Andradas (MG)

 

vinicola brasil
Foto: Casa Geraldo/Reprodução

Há cinquenta anos, uma família de imigrantes italianos escolheu o Sul de Minas Gerais, aos pés da Serra da Mantiqueira, para elaborar seus vinhos com a espécie vitis vinifera, que é uma das mais cultivadas na Europa.

Há visitas pelos parreirais da vinícola, incluindo almoço de comida mineira, e, para os amantes de um bom vinho, cursos de cultivo e elaboração da bebida.

Saiba mais aqui.


Vinícola Inconfidência, em Secretário (RJ)

 

Uma das primeiras vinícolas do Rio de Janeiro está, é claro, na região serrana do Estado. O casal ngela e Cláudio Aranha cuida desde 2010 de sua plantação de uvas tintas Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot, Syrah e uvas brancas Sauvignon Blanc às margens da Estrada Real.

As visitas e degustações incluem taças de vinho com cestas de pães, passando pelos parreirais sinalizados e ouvindo mais sobre a história do lugar. Recentemente, a família também incluiu as espécies Petit Verdot, Nero d´Avola e Viognier ao portfólio da vinícola.

Saiba mais aqui.


Vinícola Serra das Galés, em Paraúna (GO)

 

vinicolas
Foto: Vinícola Serra das Galés/Reprodução

Em 2004, o médico Sebastião Ferro decidiu levar sua paixão pelos vinhos da Serra Gaúcha a sua terra natal, a pequena Paraúna, no interior de Goiás. Seu sonho de criar o terroir do Cerrado deu certo: sua propriedade produz mais de 300 toneladas de uvas por ano, que dão origem sucos integrais e vinhos rosé, branco e tinto.

A criação principal é o vinho fino Muralha, uma combinação de syrah e touriga nacional envelhecida em barris de carvalho franceses e americanos. Em breve, Sebastião pretende receber amantes da bebida para visitas pré-agendadas às parreiras com acompanhamento do processo de produção de seus vinhos.

Saiba mais aqui.


Veja também: Vinho e viagem – as 10 melhores vinícolas do mundo

 

Tagged , , , , , , , , , ,