5 dicas pra quem vai viajar com restrição alimentar

Se você tem alguma restrição alimentar, vai viajar e não abre mão de aproveitar a gastronomia do destino, veja essas dicas de quem também passa por isso

Por Elisa Pequini, do @glutenfreetrips*

Eu sempre amei viajar e uma das minhas partes preferidas da viagem é com certeza a gastronômica. Quando fui diagnosticada com doença celíaca (de forma resumida, uma doença auto-imune ativada pelo glúten), fiquei bem apreensiva com viagens. Como eu ia fazer pra comer tendo uma restrição alimentar? Ou melhor: como eu ia fazer pra comer bem, já que a comida era uma atração pra mim? Desde então já fui desde destinos mais allergy-friendly como a Disney, até destinos aparentemente mais difíceis, como o Deserto do Atacama.

Com essas experiências, criei o blog/insta Gluten Free Trips para ajudar outras pessoas e também um check list de planejamento que divido aqui embaixo. Se você tem alguma restrição alimentar, ou simplesmente está em uma dieta que quer manter, vem comigo pra ver como tornar sua viagem mais fácil – e uma delícia.

5 dicas pra quem vai viajar com restrição alimentar

Planejamento agora é o seu sobrenome

Se antes de saber da sua restrição você viajava sem planejar nada, sinto informar que esses dias ficaram pra trás. Quer dizer, sinto não, porque sempre acho melhor viajar com planejamento – mesmo que seja pra mudar de rota no meio do caminho. Eu costumo pesquisar blogs e listas de pessoas que já foram no destino e também não podem comer glúten, mas uma das minhas principais ferramentas de pesquisa atualmente é o Instagram.

Procurar hashtags como #glutenfreeparis e #parissansgluten ajuda a encontrar pessoas que estiveram recentemente na cidade e tem dicas boas pra dar – às vezes até encontro um Instagram de alguém que mora por lá. Adapte a hashtag à sua necessidade como #veganparis e divirta-se com os achados. Eu vou salvando tudo e depois marcando no Google/mymaps, assim, quando eu estiver na cidade, já sei qual o lugar mais próximo com opções para quem vai viajar com restrição alimentar como eu.

Existem muitas pessoas bacanas, converse com elas

Eu dou preferência pra comer em lugares 100% gluten free mas nem sempre isso é possível. Por isso, sei que muitas vezes recebemos olhares ou comentários rudes quando pedimos pra fazer algo sem um ingrediente ou perguntamos como é feito tal prato em restaurantes que não estão habituados a lidar com restrições. Mas não desista: tem mais gente legal do que chata por aí. Quando fui pra Praia dos Carneiros, conversei muito com o garçom que me atendeu e descobri que ele também tinha uma certa intolerância ao trigo e sabia bastante de contaminação cruzada. Comi feliz e deu tudo certo!

Na dúvida, não coma

 viajar com restrições alimentares

Além de não poder comer glúten, eu também fui premiada com uma alergia a camarão! Fico bem insegura em lugares focados em frutos do mar, e sempre explico a situação e converso. Se não sinto segurança no que o staff está me dizendo, prefiro ir embora, ou tomar algo enquanto o resto da turma come. O que me leva à próxima dica…

Marmitar é preciso:

Quando você estiver no meio do Grand Canyon e não tiver nada seguro pra comer, aquela barrinha de proteína e aquela maçã serão a melhor refeição da sua vida. Tenho sempre snacks/lanches comigo – e inclusive levo também no avião, afinal, eu peço comida especial e podem esquecê-la ou posso ter que mudar de voo por algum motivo. Meu marido já se aproveitou muito desse meu hábito viu, recomendo mesmo pra quem não tem restrições!

Viajar não é só comida

Esse é um mantra que eu pratico desde que comecei a entender melhor minha situação. Sim, comida é uma grande parte da viagem, mas não é tudo e eu não vou deixar de conhecer lugares que quero muito, por eles não terem tantas opções. No começo é difícil de lidar com o fato de viajar com restrição alimentar, e até um pouco frustrante, mas depois que aprendi esse mantra, foco no resto e, se necessário, deixo pra comer bem em casa quando voltar e fico vivendo de snacks ou pego um air bnb com cozinha. Enquanto não volto, eu aproveito as paisagens, os museus, a música, enfim, todo o resto da viagem – que não é comida, mas que também é uma delícia!


Sobre a viajante:

5 dicas pra quem vai viajar com restrições alimentares*Elisa Pequini. Publicitária e celíaca. Ama música, comida e viagens, não necessariamente nessa ordem. Nas horas vagas, toca o perfil no Instagram @glutenfreetrips, onde dá dicas para quem vai viajar com restrição alimentar.

Pra mim, viajar bem tem a ver com viajar devagar. Apreciar desde o planejamento, até a ida pro aeroporto, o voo, a chegada, os lugares, os cheiros. Ter consciência de que tudo isso faz parte da viagem, e tudo pode gerar lembranças incríveis. Perceber que se está lá, quando se está lá. E aproveitar essa sensação maravilhosa no lugar e não só na memória.


Quer mais dicas para viajar bem? Explore os outros posts do guia além 🙂

Tagged , ,