Como será a experiência em hostels e albergues depois da pandemia

 

Manter o distanciamento social em espaços compartilhados é o desafio atual de diversos meios de hospedagem em todo o mundo. Fomos atrás de medidas que estão sendo adotadas em outros países (e algumas já no Brasil) para ter uma noção de como será a experiência em hostels e albergues depois da pandemia. Olha só:

 

Menos hóspedes

Os dormitórios, onde antes dormiam até 15 pessoas, agora devem receber metade de sua capacidade. A medida já foi adotada, por exemplo, no Swanky Mint Hostel, na Croácia: os hóspedes são distribuídos pelos beliches superiores e inferiores para garantir que haja vários metros de distância entre eles.

 

Hostel Swanky Mint
Hostel Swanky Mint / Facebook

Os hostels da rede YHA, no Reino Unido, estão adaptando suas 150 propriedades a partir deste mês: os quartos que antes eram coletivos agora receberão apenas famílias. Haverá suítes, chalés e dormitórios-cápsula também.


Veja também: Como será a experiência em hotel daqui para frente

Menos contato

No hostel El Camino con Correos, no Caminho de Santiago (Espanha), são os próprios hóspedes quem farão suas camas – o local oferece lençol e coberta em sacos fechados.

 

Maverick Hostel
Maverick Hostel

No Maverick Lodges, em Budapeste, é incentivado o uso das escadas ao invés do elevador e um médico pode ser chamado pelo hostel a qualquer hora caso o hóspede se sinta mal durante a viagem e solicite o serviço. Já no The Quisby, em Nova Orleans, a cada check-out, os quartos ficarão fechados por 48 horas e depois passarão por uma limpeza profunda para a chegada do próximo hóspede.

No Brasileranza Hostel, em Niterói (RJ), os talheres não ficarão mais à disposição na cozinha: agora, eles serão oferecidos a cada hóspede em embalagens fechadas.


Áreas sociais reduzidas

Hostels são sinônimos de áreas sociais compartilhadas como salas de TV e cozinha. Para garantir que as pessoas não se aglomerem, o ClinkNOORD Hostel, em Amsterdã, colocou marcações no chão – até na pista de dança que tem lá dentro – e setas para direcionar os hóspedes.

Em Roma, o The Yellow Hostel decretou que mais de 3 pessoas não podem ficar na cozinha ao mesmo tempo.

 

The Yellow Hostel
The Yellow Hostel

Longa estada

As estadas prolongadas em quartos privativos estão sendo incentivadas com descontos por diversos hostels, como o Milhouse, de Buenos Aires e Cusco, e o Che Lagarto Suites, de Copacabana. Uma boa oportunidade para quem é nômade digital ou está trabalhando em home office mas quer mudar um pouco de paisagem.


Pagamento digital

Os pagamentos em dinheiro serão cada vez menos incentivados, principalmente em hostels e albergues depois da pandemia. Na rede St. Christopher’s Inns, na Europa, por exemplo, já é regra.

Fazer o pagamento online é quase sempre uma vantagem: muitos hostels oferecem bons descontos para reservas antecipadas fechadas nos sites. Lembre-se de calcular o IOF ao fazer os pagamentos com cartão de crédito.

Tagged , , , ,